Loading...

sábado, 14 de agosto de 2010

Aeronaves são usadas no combate ao fogo em Mato Grosso

Muitos focos de incêndio ainda são registrados na cidade de Marcelândia, em Mato Grosso, onde casas, lojas e serrarias foram destruídas pelo fogo. Não há previsão de chuva. Equipes da Defesa Civil e dos bombeiros usam aeronaves para lançar água sobre as chamas.

Dentro de Marcelândia, os incêndios se concentram nos pátios das madeireiras, nas montanhas de serragem depositadas a céu aberto.

O fogo agora vem da floresta. Dezenas de focos de queimada se espalham pela mata.

Quem mais sofre com a péssima qualidade do ar são os idosos e as crianças.

A destruição na cidade das madeireiras impressiona. O Sindicato das Serrarias calcula prejuízos de R$ 10 milhões de reais.

Um família de oito pessoas conseguiu fugir em meio às chamas. E quando retornou para ver os estragos teve uma surpresa. A casa estava de pé.

Outros estados também enfrentam queimadas:

Acre – Um incêndio em um assentamento perto de Rio Branco, no Acre, acabou com seis quilômetros quadrados de floresta amazônica.

Pará – Há fogo no sul do Pará. Fazendas em Santana do Araguaia foram destruídas. Segundo os bombeiros, os primeiros focos surgiram há 45 dias, mas as equipes só foram alertadas nesta semana.

Goiás – No Parque Nacional das Emas, em Goiás, o fogo já destruiu 250 quilômetros quadrados de cerrado. Na quinta-feira (12) foram registrados 50 focos. Uma pessoa morreu.

Tocantins – Na região central do Tocantins, um lavrador de 70 anos também morreu em consequência de um incêndio. A umidade relativa do ar está em 11% por cento, nível semelhante ao do Deserto do Saara.

No Parque Estadual de Lajeado, perto de Palmas, o incêndio completou uma semana nesta sexta-feira. A capital foi tomada por uma nuvem de fumaça. (Fonte: G1)

Nenhum comentário: