Loading...

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Incêndio em serra no Tocantins chega ao sexto dia

Um incêndio que atinge a Serra do Lajeado, em Palmas (TO), chega ao sexto dia nesta quinta-feira (12), de acordo com a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros. Além de chácaras e áreas de preservação que foram atingidas pelas chamas, o Parque Estadual do Lajeado também foi bastante afetado.

Segundo o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), responsável pelo parque, cerca de 40 homens trabalham no combate ao incêndio na reserva. Em toda a serra trabalham cerca de 60 bombeiros e brigadistas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A área danificada pelo fogo ainda não foi calculada.

O Naturatins e o Corpo de Bombeiros informam que os primeiros focos de incêndio foram registrados na sexta-feira (6). Ainda não há informações sobre as causas do acidente.

Por causa do vento, a fumaça provocada pelas chamas é empurrada para Palmas, o que prejudica a qualidade do ar na cidade. Os ventos fortes e a vegetação seca também dificultam a ação dos brigadistas. (Fonte: G1)

Um incêndio que atinge a Serra do Lajeado, em Palmas (TO), chega ao sexto dia nesta quinta-feira (12), de acordo com a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros. Além de chácaras e áreas de preservação que foram atingidas pelas chamas, o Parque Estadual do Lajeado também foi bastante afetado.

Segundo o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), responsável pelo parque, cerca de 40 homens trabalham no combate ao incêndio na reserva. Em toda a serra trabalham cerca de 60 bombeiros e brigadistas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A área danificada pelo fogo ainda não foi calculada.

O Naturatins e o Corpo de Bombeiros informam que os primeiros focos de incêndio foram registrados na sexta-feira (6). Ainda não há informações sobre as causas do acidente.

Por causa do vento, a fumaça provocada pelas chamas é empurrada para Palmas, o que prejudica a qualidade do ar na cidade. Os ventos fortes e a vegetação seca também dificultam a ação dos brigadistas.

(Fonte: G1)

Um comentário:

Creuza disse...

"O cerrado é fogo, é dor, é solidão. O cerrado é um risco de carvão..." (Marcelo Barra, Música Cerrado)